É isso mesmo: uma combinação de muito bom gosto, ainda pouco explorada pelos apreciadores de charutos. Se a primeira coisa que você pensou foi “bebida muito forte”, continue lendo – há muito mais para se saber sobre esta bebida ímpar.

Tequila Patron e charutos DOC Torpedo

Na última quinta-feira, 17 de dezembro, o Espaço Quai D’orsay trouxe ao 5. Encontro da Confraria de Mulheres de São Paulo a proposta de quebrar o estigma de que tequilas são bebidas de alto teor alcoolico que servem apenas deixar você “relaxado rapidamente”.

Durante o evento, guiados por Ari Montoya (do Clube do Tequila), conversamos sobre as principais caracteristas do tequila premium Patron em suas três versões: Silver, Anejo e XO Café. Ao término da apresentação, o charuto escolhido para a harmonização foi o DOC Torpedo, conforme sugestão da promoter Fabricia Vieira (Charutos DOC Nicarágua).

Nem todos os tequilas são iguais.

Parece acertar na escolha, é preciso conhecer um pouco melhor a bebida. Antes de falarmos nas populares designações “prata”, “outro” e outras, vamos primeiro explicar os termos “tequila” e “tequila 100% agave” pois são de primordial importância para que você tenha uma bebida pura.

Evento Confraria de Mulheres de São Paulo

O tequila, ou misto de tequila, é uma bebida com no mínimo 51% de Agave Azul. Os 49% são provenientes de outros açúcare como glicerina, xarope e corantes.

Já o tequila 100% agave, é o verdadeiro tequila puro, fabricado 100% a partir do Agave. Procure pelas denominações “100% Blue Agave” ou “Tequila 100% puro de agave” para obter o tequila perfeito.

Há ainda outros subprodutos do tequila, menos comuns no mercado, como o licor de tequila, tequila com sabor, creme de tequila, etc. Estes são gerlamente utilizados em coquetéis específicos.

A tequila ouro é melhor do que a tequila prata.

Não! A verdade é que a maioria dos tequilas ouro são “mistos de tequila” que recebem corantes e sabores antes do envase. O tequila prata é na verdade a forma mais pura da bebida, conservando a intensidade e o sabor característico do Agave. Uma bebida transparante que geralmente não passa por nenhum processo de envelhecimento, com excessão de algumas denomoniações “Blanco” que podem ser evelhecidas por cerca de 2 meses para suavizar o sabor.

Tequila Reposado.

Envelhecida de 2 a 11 meses, este tequila conserva o sabor do Agave com um leve toque dos barris de madeira onde foi mantido. Os barris mais comuns para o envelhecimento deste tequila são feitos de carvalho americano ou francês, sendo que algumas vezes, podem se usarr barris onde já foi envelhecido whiskey, conhaque ou vinho para se obter um sabor exclusivo para o tequila.

Tequila Añejo

Classifico como “extra aged”, este tequila passa por no mínimo 1 ano completo de envelhecimento. As destilarias são obrigadas a utilizar barris que comportem no máximo 600 litros. O processo em si escurece a bebida até uma cor âmbar, suavizando o sabor o trazendo notas mais complexas.

Você é nosso convidado.

Agora você já sabe. O tequila é uma bebida complexa e repleta de caminhos a serem explorados. Da próxima vez que visitar o Espaço Quai D’orsay, mencione que leu este artigo e sua dose de tequila é por nossa conta quando você adquirir um charuto de nossa carta.

Curiosidade: como é fabricado o tequila.

O Agave Azul, um planta originária do Méximo da família dos agaves, é colhido após cerca de 6 a 8 anos de cultivo. As folhas da planta são então retirados e obtem-se diversos corações do agave, que serão cozidos por cerca de 50 horas. Após o cozimento, o agave é experimento para a extração dos meís, que serão fermentados, culminando em uma mistrura com cerca de 5-7% de álcool. Esta mistura será então destilada e dará origem a tequila prata.