Uma noite para o cubano Quai D’Orsay

habanos-thurs-4-1600Quai d’Orsay (R)  foi uma das grandes estrelas do Festival del Habano deste ano, com uma noite e um jantar totalmente dedicados ao novo visual e sabor dessa marca! 

É bastante compreensível se você não estiver familiarizado com a marca de charutos Quai d’Orsay. Criado em 1973 para o mercado francês, a marca tem sido bastante rara fora do país de sua origem, e em Cuba. Os charutos, quando encontrados, eram tipicamente muito pálidos, suaves e raramente um charuto que tivesse qualquer excitação – com exceções das Edições Regionais e da bitola Churchill! No último dia 01 (Março) em Cuba, Habanos S.A. fez um grande show com o objetivo de mudar essa imagem.

O novo Quai d’Orsay estará disponível em todo o mundo – Habanos diz que ainda este ano, mas esses lançamentos são muitas vezes atrasados consideravelmente por uma razão ou outra* – e haverá três tamanhos: o N.50, N. 54 – novos tamanhos para a marca – e o Corona Capa Clara, o único tamanho da linha anterior que permanece no portfólio.

habanos-thurs-1-600
3 bitolas do portfólio

Uma pequena caixa de madeira contendo os três tamanhos da marca foi dada aos participantes do jantar, e os charutos foram degustados antes, durante e depois da refeição entre as apresentações e um animado show.

Os novos charutos eram lindos na apresentação, capas escuras muito bem feitas, oleosidade normalmente não encontradas no antigo Quai d’Orsay; o design inteligentemente novo, que incorpora um anel de ouro sob o círculo amarelo-alaranjado familiar com o nome da marca, e o nome da bitola no dourado.

“Teve um início difícil, não surpreendendo dado a sua juventude, mas depois de aquecer mostrou a promessa de sabor fino que espero ele que tenha quando for oficialmente vendido no mercado.” – diz David Savona – da Cigar Aficionado

O charuto final da noite, que é tipicamente um dos novos Edición Limitadas, foi uma surpresa: um Quai d’Orsay Imperiales, um dos tamanhos antigos da marca e que tem se saído bem em nossas classificações. Na verdade, este charuto levou a nossa maior pontuação dada a um Quai d’Orsay nos últimos seis anos, 93 pontos em agosto de 2011. Tinha um bom sabor – claramente tinha sido feito há algum tempo, uma bitola de Churchill (7×47) que parece estar extinta aqui em Cuba.

“Estou um pouco triste ao vê-lo ir – adoro charutos cubanos grandes – mas as tendências do mercado estão apontando para Habanos longe dessas bitolas.”

Por David Savona, Editor Executivo da Cigar Aficionado (www.cigaraficionado.com)
Leia matéria original em inglês aqui

Edição / Reprodução – André R.

Enquanto isso no Brasil… (*)

O charuto Quai d’Orsay (R) não está a venda no Brasil, e eles dificilmente chegarão por aqui… A marca não tem registro de importação na Emporium Cigars – única importadora oficial de Habanos para o Brasil – e nem registro na ANVISA para comercialização.

(R) Quai d’Orsay Brand / Cigar é marca registrada de Habanos S.A.  

Deixe uma resposta

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s